domingo, 30 de janeiro de 2011

Interesse em Bruxaria Tradicional???


http://bruxaria-tradicional.blogspot.com

http://arvore-sagrada.blogspot.com/

SITE

http://bruxariatradicional.hd1.com.br/

http://www.arvoresagrada.com.br

TWITTER

@bruxariaCBT

FACEBOOK

http://www.facebook.com/pages/Conselho-de-Bruxaria-Tradicional/169821479710458

http://www.facebook.com/pages/Arvore-Sagrada/129779613752910

ORKUT

http://www.orkut.com.br/main#community?cmm=109958743 (CBT)

http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=108792054 (AS)

YAHOOGRUPOS

http://br.groups.yahoo.com/group/bruxaria-cbt/

http://br.groups.yahoo.com/group/arvore_sagrada/

2º parte...



Adoro quando a vida propõe novos desafios. Sejam com acontecimentos inesperados, pessoas diferentes que agem contra o que vc acredita ou espera... quando o seu porto seguro se move e vc cambaleia em cima dele... e vc se pergunta, onde estou errando? Ou será que agora que estou acertando?? Que raios é o certo ou o errado!?
Conviver com pessoas nunca foi fácil pra mim... nunca entendo bem como cada uma age, ou o porquê do que elas fazem ou dizem... serem tão diferentes do que pra mim é tão importante...
Ao iniciar minha peregrinação com os novos fraternos foi uma farra. Imagina só... eu saindo com pessoas onde eu podia falar de magia e dos outros mundos e seres sem ser olhada estranho ou tachada de maluca... Falar e ver a sexualidade como uma coisa natural, normal... e livre... Como é difícil as pessoas aceitar o prazer na vida delas meus deuses... e isso sempre foi um verdadeiro caos na minha vida... fazer valer minha opinião em meio a pessoas condicionadas a serem preconceituosos e caretas... sem ser vulgar ou promiscua. Essas pessoas exalavam sensualidade... amantes livres e desencanados de toda essa manipulação social que é hj nosso mundo... Falamos de nossos caminhos... experiências... e minha sede de conhecimento foi crescendo e crescendo e mais uma vez me vi salivando de tanta curiosidade e vontade de fazer parte.. é... a velha historinha... queria me sentir parte... e dessa vez de algo que realmente desejava no meu mais intimo ser... Lembro que os primeiro contatos que tive com os fraternos foi delicioso... Artio... minha mamãe ursa... foi a primeira a me receber de braços abertos e coração quente (logo uma ursa...rs E olha que não creio em coincidências) Ela me falou um pouco dela... do grupo... sempre tão amável, fazia de td pra que eu me sentisse realmente segura pra me abrir ao pessoal e principalmente ao mestre... (na época tinha receio dessa figura)... Segundo contato... uma Loba Camaleoa que me confunde muito.... confunde meus sentimentos e minhas próprias convicções... sabe tipo amor e ódio...rs   Alguém por quem me apaixonei de cara...rs Grudei na saia dela sem a menor restrição e fiz dela meu porto seguro ali... ela pacientemente me tirava duvidas e despertava outras tb...rs que sabia que eu sanaria com a experiência...fo ialguém que realmente contribuiu para minha entrega ao ensinamento e falo disso pq acho importante quando entramos em um novo caminho descobrir afinidades com algo ou alguém que nos torne mais confortáveis... E olha que somos bem diferentes... olha que já discutimos, já nos magoamos... e mesmo assim buscamos o respeito e a serenidade que precisamos pra continuar caminhando juntas...  O medo, o receio pode nos encher de bloqueios e limitações atrapalhando aproveitar ao máximo o conhecimento oferecido.. a experiência adquirida...  E aprendi com o passar do tempo que tudo  tem que ter equilíbrio... nem demais, nem de menos é o segredo desta vida... pois demais vira dependência e acomodação.... e não ter esse “chão” causa isolamento e o não aproveitamento de td que se pode conseguir convivendo com muitos tipos de pessoas e cabeças pensantes..rs como se pode aprender com gente que pensa muito diferente da gente... nossa... e ainda luto pra aprender a conviver bem com isso... Belo ensinamento esse de respeitar cada um como cada um é, afinal... convenhamos, não é fácil! Mas preciso... a senda é individual... mas em grupo aprendemos muitas coisas. Que sozinho deixaríamos passar despercebido ou mesmo não teriam o menor sentido. Como diz um grande amigo meu... Conviver é preciso... mas é muito difícil e se não aprendemos estaremos sempre insatisfeitos, afinal, nesse mundo não existe uma gota de orvalho igual à outra... quanto mais pessoas... voltando...
O pessoalzinho começou a se reunir e o companheirismo cresceu e cresceu... a crença no que fazíamos tb foi ganhando estabilidade... o conhecimento foi fluindo...foi chegando em perguntas e respostas que me traziam calafrios no estomago... rs Fui com isso percebendo como tudo que havia aprendido não tinha base e que é importante demais saber como tudo começou, onde... quando... pq... com quem.... e fomos estudar história e geografia.... kkkkkkk fui em busca de conhecer meus antepassados... e entender o pq era importante trazer tudo isso para nosso caminho atual... a cultura, as tradições, a raiz do que sou, e do que quero me tornar.
Sabe, perguntas simples causaram tremendas confusões e interrogações em minha mente.... tipo.. de onde vim... quem eu sou... pq estou aqui... e com várias dessas sementes plantadas, embarquei na Clan. Com cara e coragem, coração e alma...
Chega o primeiro ritual... 

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Folha seca...


A chuva chega pesada tomando o silêncio da casa,
 Embala-me a quebrar as linhas do tempo, do desejo...
Sinto o aroma da noite que entra suave pela janela e inebria a noite...
Trago comigo um cálice de vinho doce, um incenso amadeirado e convido o fogo a crepitar-me... a induzir-me...
Me entrego... e convido a noite a acompanhar-me em uma dança distante

Toco-me consciente para inconsciente estar
Trago recordações de uma época que ainda se faz presente... e a revivo
Avisto um oceano a me envolver, cabelos ao vento...
Em névoas claras cheias de paixão antiga, tardia...ativa?
Derramo-me em notas que aguçam minha libido
Viajo nesse tempo encontrando abrigo, sentido... instinto?

Em versos,  chegaste tocando meus sentidos...
Versos soltos sobre uma manhã de domingo
Fragmentos de encontros e desencontros
Liberta a menina/mulher que baila descalça entre as folhas secas a te esperar
Que confidencia ao universo em pensamento seus prazeres e desejos mais secretos
Prazeres divididos e sentidos entre almas que se amam enquanto a chuva se aproxima...
Molhando os corpos  e a terra que marca meu rosto
E lambuza seus cabelos...

O vento se levanta e assanha...
E a febre que perdura, cura e reanima
Permito, admito... confesso...
Que gosto de tocar-lhe o coração enquanto brinco com o tempo...
Trago tempestade dentro e fora para contemplar
Algo que não se explica... E nem quero tentar,
Apenas te trago comigo e te deixo me levar...

Fragmentos de uma peregrina - parte 1



É interessante você começar a analisar como sua peregrinação começou... você percebe que foi bem mais cedo do que imaginava... percebe detalhes da infância que já davam indícios de que sua espiritualidade pedia mais... pedia um caminho diferente do dito “convencional”.
Cresci em meio a uma família espiritualizada, não só pelos pais médiuns e pelo centro de umbanda ao lado...rs Mas porque aprendi a conviver com espíritos entrando e saindo pelos corredores naturalmente, conversando como se fossem os melhores amigos “imaginários” de uma infância pouco aproveitada. Fazendo de um salgueiro chorão quase um irmão.
Na adolescência fui começando a perceber que ser diferente, não era mais tão engraçadinho como na infância... e comecei a ocultar certos fatos e presenças com quem eu convivia... Comecei a negar o que até ali era tão natural e saudável pra mim. E como toda adolescente gótica e revoltada rs ... comecei a negá-los e a ignorar totalmente suas presenças... (como se isso pudesse fazê-los sumir, ou mesmo deixar de me procurar)... Com a idade, vieram as responsabilidades e na confusão de tanta negação acabei caindo em uma grande contradição interna, e começou a falta de aceitação por mim de mim mesma, e acreditei realmente que a loucura estava presente... (gnomos, fadas... árvores falantes...?!?!?!? rsss) e que eu não pertencia a esse lugar... Foi assim que comecei a procurar por religiões que pudessem explicar ou justificar um pouco de td que eu pensava e acreditava e que a maioria das pessoas condenava tanto. Foi ai que comecei a me preocupar demais com o que as pessoas pensavam sobre “ser diferente”... É lógico que não me ajustei à religião alguma... e entrei na paranóia “última dos moicanos” ...rs Comecei a seguir minha própria “religião”... e nem sempre isso é bom, nos torna inacessíveis... Lembro que um amigo meu antigo... do teatro, tinha uma linha de pensamento muito parecida... com ele conseguia conversar sobre o assunto... éramos muito chegados, a ponto de um saber o que o outro tava pensando sem o outro dizer e muitas vezes mesmo não estando no mesmo lugar, sabíamos quando não estávamos bem... a sintonia era grande. Quando fiz 15 anos, ele me disse que me mostraria o caminho que eu tanto buscava... mas que eu precisava estar pronta pra aceita-lo... não entendi nada na  época, mas nunca esqueci daquele aniversário... ele tava com tuberculose e não poderia vir a minha festa, e do nada ele apareceu e me disse isso. O A. foi assassinado anos depois, sem explicação... de uma maneira tão cruel que eu não aceitava continuar vivendo em um mundo tão sem sentido e cruel... me revoltei demais, me entreguei a uma depressão absurda, por não crer e aceitar mais nada que viesse do ser humano... foi então que literalmente minha vida mudou... A. veio me visitar em uma projeção astral (detalhe, na época não sabia que aquilo que eu fazia era projeção..rs) E ele me mostrou outros mundos.. e ele me falou deles... e me falou de como eu poderia encontrar o que procuro estando naquele estado se não me fechasse para os ensinamentos... Muitas cenas do que vi, só entendo hj, muito do que ele me disse, só absorvo agora e outras ainda nem fizeram sentido... mas sei que farão... Vi cenas de vidas passadas em que estivemos juntos, vi pq nossa ligação era forte e ele me explicou o pq deixou aquela vida daquela forma tão cruel e prematura...  disse-me que ele estava bem, mas que tinha outros lugares pra estar naquele momento... mas que precisava cumprir o que me prometeu e me mostrar o caminho que eu tanto buscava (que ele existia!!)... outras coisas desse encontro guardo só pra mim, afinal... não haveria palavras para tais descrições do que vi e senti. Aquela madrugada acordei em paz... chorei o que precisava chorar, me despedi do meu amigo e finalmente entendi que era um até logo... ele estaria ainda comigo... como sempre esteve... depois de parar de chorar fui ver as estrelas, sentir a noite... ouvir o vento e silenciar o coração... fui tomada por uma paz gigantesca, era só eu e a natureza... era eu e os sentidos permitindo ser tocada por uma energia que eu ainda não compreendia... mas já a aceitava. Voltei pro quarto, sem sono, fui pra internet e do nada um livro cai na minha cabeça (prateleira de livros ficava acima da mesa...rs) era o livro Brida... era o livro do A., rs Abri o livro e La dentro estava uma foto minha com ele... Li a passagem que estava grifada... e uma ânsia de curiosidade e sede me tomou e comecei a fuçar na net por td que achava sobre o tema... Bruxaria!  Li muita coisa... o interesse só foi crescer e crescer... e as coisas foram chegando instantaneamente... as tais “coincidências” que a meu ver hj não existem!!
Os sonhos lúcidos continuavam... as imagens tomavam formas mais claras e o entendimento começou achegar.. mas de repente me faltava ainda partilhar... faltava alguém com quem pudesse conversar sobre o assunto e deixar de me sentir tão louca..rs por acreditar em td aquilo. Foi quando entrei num bate papo de Wicca... (kkkkkk, qual é gente, releva...) e lá encontrei várias pessoas “adeptas “ e “conhecedoras” e comecei a trocar figurinhas digamos assim.. conheci alguém, que conhecia alguém que tinha um grupo aqui e fazia aquilo ali.. e assim começaram meus estudos... minhas “investigações”. RSS
Meu primeiro contato “sério” foi com uma pessoa que estava no Japão... (tem noção???? Pra  ajudar...aff) Ficamos muito amigas, grudadas... até técnicas de projeção e indução ela me fazia por telefone ( muito seguro, não???) pois é... mas na época era o que eu tinha na mão e era a pessoa que eu confiava. Até que um dia encontrei uma pessoa na net... (ou ela me encontrou??? RS) e foi estranho, pq eu projetava com aquela pessoa antes de conhecê-la... sonhava com ela... tive vários resgates com um desconhecido... W.N. apareceu muitas vezes nas cenas que A. me mostrou e aquilo me intrigou.. aos poucos soube que eu Tb apareci pra ele e começamos uma amizade baseada nisso.. aos poucos vi que ele Tb seguia esses caminhos e o que na época me fascinou.. ele era “mestre” nela... e me convidou pra ser sua pupila... Confusão geral!!! Não sabia se podia confiar, mas algo dentro de mim vibrava na presença dele e na possibilidade de ser parte do que ele me mostrava que fazia parte...
Mas não queria aceitar os ensinamentos dele antes de falar com a S. (a moça do Japão), me sentia traindo sua confiança... ela me passava seus ensinamentos informalmente, como diria a ela que havia achado um mestre e que não poderia mais ter seus ensinamentos...
Resumindo... arrastei S. e consegui que ele a ensinasse Tb... RS e viramos parceiras... vi muitas linhas magísticas... era uma miscelânea de coisas que até hj me pergunto se realmente absorvi td aquilo. Mas Acredito que todo ensinamento é válido pra algo, basta separar joio do trigo... e a experiência que adquiri naquilo td, moldou-me e me deu forças e discernimento pra ser o que sou hj.
E no vai e vem dentro desse grupo, e de outros que foram aparecendo e de coisas que foram acontecendo...finalmente entendi que minha senda é individual e que mesmo que haja um mestre me guiando, é minha energia e poder pessoal que faz a diferença. Que a gente quebra muito a cara sim, e que isso faz parte do caminho... faz parte da busca de qualquer peregrino... “e quem disse que seria fácil?”.
 Aos poucos com o que fui aprendendo, fui encontrando coisas que não faziam sentido no grupo... sabe acho que meu mestre na época subestimou-me...rs  ou talvez até subestimou-se... pois não percebeu que me deu meios de perceber suas mentiras e manipulações... O problema de se ter conhecimento demais em mãos e que eles podem lhe corromper... E isso com certeza tira a nobreza e pureza das coisas... resumindo, a máscara caiu... meus sentidos e poder pessoal me mostraram que ali não era meu lugar, que ali na verdade nada era... que o que eu havia aprendido com td aquilo, é que em qualquer lugar, com qualquer pessoa, pode se trabalhar sua magia natural... universal... a teia se abre sempre aquém está aberto a ela... e percebi que o maior mestre de todos, era a própria teia, o universo em si.... sempre me empurrando e mostrando os ensinamentos pra quem de fato abre os olhos da alma  e escuta com o coração a voz e o pulsar do coração da “terra”...
Abri o jogo ao grupo... “tirei as máscaras...” e aos poucos fraternos sérios que haviam lá, cada qual saiu dali de um jeito... muitos ainda guardo comigo a amizade, embora não divida mais com eles o caminho, estamos sempre se cruzando. Fico feliz com isso. Culpei  o caminho na época, não só a pessoa que brincou com isso... achei que como a pessoa, o caminho também era errado pra mim. E larguei td, me fechei pros outros mundos, pros outros seres e me tornei fria e distante a td isso... Coincidiu em um momento muito decisivo da minha vida... talvez por isso a confusão interna... e a culpa no caminho... juntou minha separação (que parte do motivo foi o próprio caminho – mas essa é outra, história!!) juntou o tal “mestre” se rebelar e virar evangélico...rs  Juntou eu olhar todo aquele estudo que me foi dado e ver que tais belezas não passavam de um jogo... que tais palavras conseguiram me seduzir e manipular de tal forma que não pude enxergar que a verdadeira beleza daqueles documentos, estava em saber aplicá-los...
Sei lá, td acontece por ma razão... guardo hj, com carinho toda aquela fantasia que me despertou para a verdadeira realidade... que é bem longe desse mundo que vivemos...
Desejo de coração que o Vazio encontre a paz que tanto busca... Que a menina silente consiga entender que a “voz” está dentro de si mesma, é só parar pra ouvir.... Que o Inverno perceba que há muitas outras estações para ser entendidas e absorvidas... e que o ego é o pior inimigo dos mestres!
Continuando... Dois anos se passaram longe de td ligado aquilo, depois de ter virado geral as costas pra esse caminho, pra tudo e todos que faziam parte dele... Organizei minha vida pessoal, cresci como pessoa, mudei muita coisa que precisava em mim, aprendi a conhecer a nova Janaina que surgiu e deixar a antiga pra trás de vez sem lamentar... a menina submissa e medrosa morreu com o romper das alianças...  fui em busca dos sonhos, da firmação pessoal, tomei as rédeas da minha própria vida novamente... e  de repente me vi sentindo aquele friozinho na barriga..aquele “chamado” novamente do universo...
Nessa mesma semana meus pensamentos estavam tão distantes... lembro de ter recebido a visita do meu irmão (que já está em outro mundo) e nesse dia precisei caminhar...  e acabei me enfiando na mata, precisava silenciar os pensamentos  e entender o que gritava em mim... o que eu buscava mais uma vez que não entendia... e foi lá..entre as árvores e o canto dos pássaros que entendi o que me chamava.. estava na hora de voltar a peregrinar... e pedi aos elementos ali a volta que me mostrassem a direção.. que me dessem força e sabedoria pra conseguir o que precisava.  Aceitei de volta que o mundo é muitos mais do que aquilo que nossos olhos tocam... nossas mãos sentem.... deixei os elementos e elementais brincarem comigo naquela manhã de domingo...  e brinquei com eles tb...
Naquela mesma noite algo aconteceu, mais uma vez eu navegando pela net sem nada a fazer, me vem uma pessoa no Orkut e do nada fala comigo e me faz um convite... aquilo me soou estranho, ainda mais depois de ter estado com os elementos e fazer tal pedido... (foi rápido demais..rsss) e fiz o que todo neurótico faria...  aceitei, mas com pé atrás.. queria ver o que era... (curiosa ao extremo) mas sem me envolver...
Deparei-me com um grupo muito parecido com o que eu havia estado e tinha dado tanto problema... Pensei que o universo estava a me pregar uma peça.. sabe aquela velha historinha “cuidado com o que desejas... vc pode conseguir” me deu medo... mas ao mesmo tempo.. o chamado... me seduzia pra td aquilo... e meu coração doía em pensar em esquecer td aquilo... e fui em frente... resolvi pular fora só qdo notasse algo errado... o mais engraçado foi o que tive que superar... minto, mesmo hj confesso não estar superado... algo dentro de mim está em alerta o tempo todo, como se esperasse uma brecha pra dizer “Alá.. não falei... vai dar na mesma que o antigo grupo...” e isso me atrapalha muito.... pq isso me bloqueia e me trás problemas hj em dia... mas é algo que estou a superar... mas voltando... algumas atitudes eram parecidas com o grupo anterior... ou mesmo a semelhança dos mestres, dos atos... a raiva ainda me ardia nessa época do mestre mascarado... mas resolvi ter fé e dar credibilidade... percebi que não posso comparar as pessoas, os caminhos, os ensinamentos... (mania infeliz essa minha, algo a corrigir tb) ou limitaria meus conhecimentos e minhas passagens... me entreguei... paguei pra ver... e conheci um mundo novo... (vários aliás) que me preenchia de fato... seguro, maduro... pessoas que pensavam como eu... que agiam como eu... e tive a base que nunca tive antes.. os ensinamentos tinham fundamento... tinham respostas... e tinha o que pra mim fez a diferença... tinha contato e tinha práticas grupais... era real!
To be continue...rs

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Meu Animal Guardião - Urso Pardo

 Definição: Animal Guardião


Corresponde com as características mais profundas simbolizadas pela qualidade animal, os animais guardiões são protetores, se mantém na espiritualidade porém a sua ação é no plano físico, alguns bruxos conseguem alterar suas feições, ou alteração completa para o seu animal guardião,
também é possível a projeção astral na forma do animal guardião porém o acesso é limitado à vibração o que não ocorre com o animal de poder onde a profundidade espiritual é bem mais acentuada.
Exemplo: a força do Urso, a cura da serpente, a visão da águia, a velocidade do jaguar, assim por diante.
Os animais guardiões em via de regra são os primeiros a aparecer em trabalhos de cunho xamanico/ espiritualistas.

 Urso - O Urso é uma figura imponente e forte. É o Senhor da Montanha e da Floresta, não havendo nenhum outro animal que lhe faça frente, salvo talvez o valente Texugo. Como Animal guardião detém os mesmos atributos deste e ainda os dons da introspecção, da intuição, da cura, bem como da sabedoria ligada aos Ancestrais e à Terra. O Urso é um excelente guia para o despertar da consciência, para o estímulo da curiosidade e para o bom aproveitamento dos ensinamentos.
 Os animais (e suas energias) trabalham em você. Você é um microcosmo. As energias do Universo estão dentro de você, o Universo vive em você.
Definição: Animal de Poder


É a ligação do elo homem a egregora do animal espiritual, esta egregora é formada pela essência de uma determinada espécie, tal como o Clã da Serpente, do Dragão, do Urso, etc...
O animal de poder é um facilitador, onde ao realizar a mesclagem energética lhe trará atributos espirituais, tal como um guia em outros mundos.
O Contato com o animal de poder traz expansão de consciência, altera os níveis energéticos, reabilita dons de profecia, cura, proteção, projeção astral entre outros.
O contato com o Animal de Poder só é conquistado através de um transe profundo, a aproximação do animal de poder só é feito a partir de uma iniciação, de um trauma, familiar ou merecimento.





http://www.animaisdepoder.com.br/?p=454

Esquizofrenia Esotérica



A esquizofrenia é hoje encarada não como doença, no sentido clássico do termo, mas sim como um transtorno mental, podendo atingir diversos tipos de pessoas, sem exclusão de grupos ou classes sociais.

Sintomas

A esquizofrenia, talvez a psicopatologia de maior comprometimento ao longo da vida, caracteriza-se essencialmente por uma fragmentação da estrutura básica dos processos de pensamento, acompanhada pela dificuldade em estabelecer a distinção entre experiências internas e externas. Embora primariamente um transtorno que afeta os processos cognitivos[de conhecimento], seus efeitos repercutem-se também no comportamento e nas emoções.

Podem ser divididos em duas grandes categorias: sintomas positivos e negativos.
Sintomas positivos
Os sintomas positivos estão presentes com maior visibilidade na fase aguda do transtorno e são as perturbações mentais "muito fora" do normal (Fora da Casinha), como que "acrescentadas" às funções psicológicas do indivíduo. Entende-se como sintomas positivos os delírios — ideias delirantes,pensamentos irreais, "ideias individuais do doente que não são partilhadas por um grande grupo", por exemplo, um indivíduo que acha que está a ser perseguido pela polícia secreta, e acha que é o responsável pelas guerras do mundo; as alucinações, percepções irreais – ouvir, ver, saborear, cheirar ou sentir algo irreal, sendo mais frequente as alucinações auditivo-visuais;pensamento e discurso desorganizado, elaboração de frases sem qualquer sentido ou invenção de palavras; alterações do comportamento, ansiedade, impulsos ou agressividade.
Sintomas negativos
Os sintomas negativos são o resultado da perda ou diminuição das capacidades mentais, "acompanham a evolução da doença e refletem um estado deficitário ao nível da motivação, das emoções, do discurso, do pensamento e das relações interpessoais",como a falta de vontade ou de iniciativa; isolamento social; apatia; indiferença emocional; pobreza do pensamento.


Estes sinais não se manifestam todos no indivíduo esquizofrénico. Algumas pessoas vêem-se mais afetadas do que outras, podendo muitas vezes ser incompatível com uma vida normal.

No entanto, alguns sintomas podem oscilar, aparecer e desaparecer em ciclos de recidivas e remissões.


Teorias familiares

Assim como a abordagem psicanalítica, outras abordagens responsabilizam a família, mas apesar de terem bastante impacto histórico. Surgiram na década de 1950, baseadas umas no tipo de comunicação entre os vários elementos das famílias e aparecendo outras mais ligadas às estruturas familiares. Dos estudos desenvolvidos surge o conceito «mãe esquizofrenogénica», mães possessivas e dominadoras com seus filhos, como gerador de personalidades esquizofrénicas. Estudos posteriores vieram contudo desconfirmar esta hipótese, relacionando esse comportamento mais com etiologias neuróticas e não com a psicose.
Atualmente as abordagens familiares, ao invés de culpá-la, procuram apoiar a família, reconhecendo as dificuldades em lidar com um membro da família em grave sofrimento psíquico.


Acesse o blog: http://bruxaria-http://bruxaria-tradicional.blogspot.com

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

FENÓMENOS E SEMÂNTICA DA BRUXARIA TRADICIONAL


Estamos em mais uma jornada sobre o esclarecimento quanto aBruxaria Tradicional, e embora tenhamos visto muita embolação de textos, muitos caminhos tortuosos para designar coisas tão simples e óbvias que não precisam ser expressas em mais de três páginas.

Bruxaria Tradicional é apenas um caminho de crença, quem tem o conhecimento não precisa estender-se e camuflar-se sobre as palavras. E ao contrário do que dizem - que somos oposição e que estamos “contra a maré” - dizemos que não somos oposição! Apenas retratamos o que é Bruxaria Tradicional e que todo bruxo tradicional sabedor da crença reconhece.

É estranho pensar que estamos “contra a maré”, nós acreditamos em crenças que fazem diferença e não em cópias plagiadas e filosofias desconectas. Para se ter idéia, a “modernização” de conceitos é bem mais ultrapassada do que se possa imaginar, mundialmente existe um esforço muito grande de preservação de culturas, de folclore, de arte e de línguas, e isto ocorre nas diferentes áreas, etnias e regiões, ou seja, mais e mais pessoas estão buscando culturas diferentes à do “fast-food”.



Nós agradecemos a autores que falam sobre o que poderia ser “Bruxaria Tradicional”, nos dando a chance de poder esclarecer este tão belo caminho. Alguns leitores até chegam confusos trazendo textos carregados e agressivos que mais parecem com uma dissidência da Wicca, visto que pregam a mesma ideologia, porém plagiando sistemas de outras vertentes ocultistas.

Em nossos textos anteriores, falamos do termo aceitação como permissão, e por curiosidade observamos a seguinte frase: “repostado sob permissão” em um desses textos que simpatizantes nos trazem. O que comprova que um bruxo precisa pedir as devidas “autorizações”! Aos poucos promovemos consciência e real conhecimento do que colocamos como Bruxaria Tradicional.

É comum também o uso de fontes de magistas e não “bruxos tradicionais” como Austin Osman Spare, que foi como um aprendiz de Aleister Crowley entre outros feitos, ligado a ordem Argenteum Astrum. (para quem não conhece Crowley, veja sobre Thelema).



Percebam a origem das fontes de conhecimento e encontrarão a sua devida ordem iniciática. Perceberão com isso que são magistas e não bruxos tradicionais.

Outro dia um leitor que se direciona para Magic Chaos e Satanismo comentou com um total desprezo estas iniciativas superficiais “neo-tradicionais”, visto que não assumem a origem de onde absorvem seu conhecimento, como também querem criar uma ritualização eclética usando o nome de Bruxaria Tradicional, é fato, que tais atos criam desconforto tanto para ocultistas sérios como para as tradicionais escolas de mistérios.

O problema não é o fato de usarem este ou aquela designação, o problema é a desinformação, visto que muitos bruxos tradicionais não acreditam nesses valores, não tem a mesma crença, causando indignação e desrespeito às crenças que muitos lutam por preservar e que são tomadas com total descaso e superficialidade.

Mas voltamos à questão que comenta da bruxaria “cruzando oceanos, gerações”, e por isso ela deve ser igual aquela religião neo-pagã que alguns criticam, não é antagônico? Para debater com neo-pagãos usam de conceitos tradicionalistas, para debater com tradicionalistas usam de conceitos neo-pagãos. A final de contas essa bruxaria tradicional tardia é apenas uma distorção do termo magista, alguns até se acham magos, não pagãos, acreditam em inferno, usam apelidos com nomes satanistas, utilizam de autores de outros caminhos e dizem que o passado foi bom, mas o negócio é o ser moderno! Devemos dizer que esses textos são uma grande anedota para todos os tradicionalistas e colegas de outras ordens em magia.

A questão básica é:
“O que difere você - Bruxo Tradicional “moderno” - de um Feiticeiro Pragmático tal como alguém do Magic Chaos?


Pense, reflita, pois verá por si mesmo que não existe diferença a não ser pelo dualismo dado pelo mito dividindo o mundo nos filhos de Bel e Cain (puro dualismo judaico cristão).

Resumindo: são óbvias demais tais influências, seria uma falta de visão mesclada a uma proposta que não agrega nada de novo ou de valor que se deva investir, a não ser no comércio e uma capa nova para uma específica religião neo-pagã.

O primeiro ponto é não confundir CRENÇAS TRADICIONAIS com Bruxaria, é a mesma sina do Xamanismo que virou rótulo para toda crença tradicional mundial, é esta generalização que nós não buscamos.
Uma coisa é certa: Não comungamos da mesma crença! O nosso caminho é de preservação e reconstrução.


Sobre a busca etimológica da palavra bruxaria, acreditamos que pelo menos, descobriram que é de herança Ibérica e não latina, vou postar a fonte que distorceram, segue abaixo com o devido autor:
“bruxaria - Embora alguns autores tentem provar que o vocábulo proveio do Latim, o mais provável é que ele já existisse em algum dos dialetos falados na Península Ibérica antes da chegada dos romanos, como foi o caso de bezerro, cama, morro e sarna. Esta hipótese é reforçada pelo fato de só aparecer nas línguas ibéricas (Português bruxa, Espanhol bruja, Catalão bruixa); se viesse do Latim, deveria também estar presente no Francês (que usa sorcière) e no Italiano (que usa strega), que também pertencem à família das línguas românicas.”


Autor: Cláudio Moreno
Formado em Letras da UFRGS, com habilitação em Português e Grego.
Doutor em Letras com a tese Morfologia Nominal do Português
Portanto nossos estudos em reconstrução, principalmente, são resguardados por pessoas doutoradas na área de aplicação e não por pseudo-conhecimento.


Conforme o ditado popular “cada macaco no seu galho”, nós não acreditamos que o voodoo seja bruxaria tradicional, ele é feitiçaria tradicional do Haiti, de Louisiana, ou seja, tudo tem sua origem, seu devido nome.

A questão é muito simples com relação ao entendimento do que é Bruxaria Tradicional, e seus parâmetros de caminho, ou você anda neles, ou você está fora! Isso não fomos nós do CBT que traçamos, deve-se entender que ao não aceitar estes conceitos, fala-se de outro caminho, seja lá a forma como o queira chamar.

A superficialidade e a mediocridade não são problemas exclusivos da Bruxaria Tradicional, estão impregnadas em muitos ramos do ocultismo. O primeiro passo antes de se aprofundar em qualquer caminho é conhecê-lo, não vemos a necessidade de um caminho existir se ele é uma cópia de outro, não existe função em se ter um nome tradicional para quem não preza pela tradicionalidade!

Já escutamos o lema: “um homem que tem uma visão” a visão pode ser um objetivo, mas no contexto geral é apenas observação, e se você não enxerga que:

Bruxaria = Cultos pré-cristãos
Tradicional = Preservação de Costumes, Folclore, e tudo o que implica na preservação de valores.


Não há o que dizer, a não ser lamentar sua falta de entendimento sobre semântica, sobre a etimologia das palavras.
Como dissemos antes, o Conselho de Bruxaria Tradicional é para gente séria e centrada no caminho tradicionalista.


Aos que desejarem conhecer sistemas mágicos e pragmáticos recomendamos a Magic Chaos, Thelema, Satanismo, OTO, .’.A.’.A, Rosa Cruz, entre outras, nesses caminhos tradicionais, não ocorrerá à distorção e se dará um entendimento direto.

Nós que pregamos a bruxaria tradicional em essência, oferecemos um caminho politeísta, pagão, ancestral, folclórico, entre muitas outras áreas.

Uma das funções do CBT, entre muitas outras, é fornecer suporte legal aos seus membros, como também às pessoas que se sintam prejudicadas por entidades, pessoas e até mesmo por produtos que ofendam o direito do aprendiz. Por esta e por outras, muitas pessoas mal intencionadas tendem a se rebelar, sorte para uns, azar para outros!

Texto: Conselho de Bruxaria Tradicional (CBT)

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Suavizando...

As gotas da chuva caem lá fora surtindo efeito dentro de mim
Trago a suavidade necessária para que o entendimento chegue
Deixo a melodia entrar em contato com minh’alma como agradecimento ao sagrado estado e ouço seus suspiros exalados como preciosas pedras ... Rústicas pedras...
Pedras que rolam desconhecidas e não lapidadas...
Coisas preciosas que nos envolve e habita e não sabemos explicar
E muito menos dominar...é tudo tão imprevisível..
A vida.. as amizades..os amores...os caminhos...  Tudo que  realmente influencia nossas vidas... vem e vai. E quem entende o sentido e a profusão...?
Marcas e cicatrizes que arrancam do corpo um gosto as vezes não muito doce, não muito agradável... alguns apenas passam.... e deixam aquele vazio... um vazio que devemos preencher da melhor forma possível... vazio que a falta do que se foi não deve priorizar...
Apenas o gosto bom de ter sido provado e talvez um tanto degustado... As lembranças condensadas e libertadas...
Outros passam e ficam fazendo a diferença..sempre e sempre...mesmo ali estando ausente... inexistente... mas ali estão! Fazendo parte do novo... da roda que inicia-se... dos círculos que finalizam... infinito de possibilidades e acontecimentos... onde cada momento rega um pedaço de terra pisada pelos meus pés ardidos
A troca nem sempre entendida é esquecida... as mudanças não pedem licença e vão se alojando arrastando o tempo com ela... as areias flutuantes que se dispersam pelo dia azul.... entre cinzas nuvens que vêem lavar o que restou de um tesouro.. de um momento bom...de noites regadas a sonho vão...
Das conversas intensas e verdadeiras que parecem ter perdido a finalidade de ser, o verdadeiro poder...
Do sentimento empregado dilacerado pela indiferença... o controlar dos atos para amenizar o fato...
A agonia presente clareando a visão para um novo rumo, o reluzente presente ainda brilha em minhas mãos!!!  Mesmo que esteja prestes a desaparecer com o tempo….. ainda brilha e me impulsiona a recomeçar... o sorriso dado nunca perdido ainda alivia as noites de silêncio
E mais uma vez me despeço de parte de mim, deixando a fluir com a chuva que cae... a chuva que cae dentro de mim... a chuva que toma forma em lágrimas e sorrisos e brilho no olhar não mais caído...
Liberdade dos sentidos.. a energia expandida sem gritos... voa...
E lá se vai mais uma volta viciante no carrossel dos meus devaneios...
O lugar mais uma vez está vago a espera de um companheiro verdadeiro... o passeio clama a mais bela paisagem, o mais gostoso frio na barriga...
Crê e almeja mais e mais entendimento e aceitação...
A estranheza já costumeira ainda não foi totalmente aceita...
Vc realmente me conheceu? Ou  minha ilusão lhe envolveu e pereceu?
E será que um dia realmente será?
Um dia alguém o verdadeiro olhar... o tocar... penetrará?
Sem malicias ou intenções?
Sem desconfianças ou rótulos?
Espero pela nova volta em minha roda... sozinha ainda cantarolando para atrair a atenção daquele que aprecia o belo e o verdadeiro...ainda há a essência da minha alegria...
A canção sincera da alma ao buscar-se...
A pedra que rola ganhando forma e expressão...
A pedra que procura a lapidação!

Encarando o Abismo


Com o peso da minha pena adquirida traço e laço as linhas subentendidas do seu corpo em ousadia... corpo que assanha... que transmuta e excede... pinto seus olhos e teço a  expressão necessária para a compreensão dos meus verbos  em excessos. Meus enigmas... como dentes cravados na carne que sangra pela solidão de noites de desespero e incompreensão... abrindo portas para os devaneios sentidos e vividos que fazem a real exatidão; Riso alto e felino da dama que levanta e suspende a fogueira dos sentidos... fiel motivo.. reais júbilos.... como fumaça desenhando o indivisível...
Meus lábios já não vertem apenas a doçura dos meus beijos fatais e sim dão lhe a chave para as portas da percepção...  dou-lhe a reflexão... o  peso de suas ações tocada e apreciada como o instrumento mais afinado...dou-lhe a escolha... a provocação... a sabedoria em suas mãos.. a decisão... apenas causo...e  se a causa não lhe diz nada, que venha a mim então...; Oh bela canção que  chega aos ouvidos plena..seja em nosso caminho “o meio” ou que se perca então.... perca em minhas linhas... linhas traçadas em meus giros..onde mergulho em frívola e sagrada contemplação; em minha roda do tempo... do vento... que trás à mim seus pensamentos... sonhos e anseios... a tradução dos seus sentidos em minhas mãos... lâminas de ilusões... o fio da lamina bem conduzida... cortando a brisa fresca da noite quente em rodopios dançantes e silentes... passos firmes... Passos sábios e ardentes.. a sede já não é mais pausa... mas sim complemento... e do silêncio brota o conhecimento... e do vazio discernimento... e do amor bálsamo eterno para as noites onde o ar é raro e as chamas fardo... porém ao esgotamento do corpo vem o renascimento da forte alma; E do dia faço noite... e na noite trago o brilho dos olhos arredios .. q de canto lhe observam...lhe atrai e  conduz ao mais belo labirinto de emoções.. onde é posto em prova seus pecados e oscilações... devoro... devorai-me... se for capaz...em suas linhas mal traçadas e derramadas... será vc capaz de suprir minha fome de vida e minha sede de paz.... seria vc capaz de dar-me a satisfação que a felicidade nega?

Da sede à Ardência...

Hoje trago o doce vermelho da noite que banha meus sonhos infinitos
Observo meus passos procurando entender meu silêncio
Algo começa a remexer dentro de mim, e a sensação familiar me toma
De caprichos sem censura...
O incomodo impaciente de estar
E os olhos já não possuem mais o brilho natural
O corpo já se movimenta de acordo com a brisa da noite
Eu, mulher.... Sensualidade,força e desejo
Saio pela noite contemplando o que o Luar tem a me oferecer...
Caminho sozinha sem direção
Ainda tento escutar ... ver alguma explicação
Mas tudo que posso perceber é o calor da explosão...
Que começa a arder e renascer
Como quem morreu e voltou a vida...
Como quem cala o silêncio e torpor
Eu sigo e enfrento o desconhecido.
Aquele mistério que reina em mim,
Já não é terreno infértil
E ouso adentrar e movimentar o que não se pode ver
Só sentir e cheirar...
Cheiro que se alastra... cheiro que atrai...
E com ele o gosto prazeroso na boca se faz...
Na certeza de que mais uma vez o vulcão que me habita arderá...
Explodirá em gozo e fervor...
E os clarões da noite enluarada
Trás lugar a Luxúria do meu corpo em chamas
Sedenta de paixão em fúria
Crua... nua, áspera penúria...
Provocando minha libido
Te acho..te caço.. te amasso...
Entre meus dedos
Te agarro... o desejo... toma forma e contexto
Estando entregue ao delírio
Do beijo ao veneno...
Da sede à ardência 

Conjuro

A última cena

Giros incontroláveis a me tomar
A fúria presente em meu andar descompassado
A decepção ainda vibrando em meus ouvidos
O sangue queimando arrastando o negro pelas veias
Saltando sobre mim, infeliz surpresa
Venha ó gozo... venha que lhe rogo!!!
Dê me a força para a execução necessária
E do seu riso sádico faço meu prato
Da sua hipocrisia desfaço laço
Eis que pisaste em mais belo sentimento
Giro nessa nova dança e o transformo em seu derradeiro leito
Que do palco que vc criaste
Agora desço, não faço mais parte
E das belas histórias que atuamos juntos
Pela sua ousadia jogo ao vento...
E a mistura dos tempos já não me guiará
Findado aqui o meu tormento está
Aniquilo-te de mim, escravizo enfim....
E com as garras que te satisfazia
Sufoco e jazigo aquela que por vc vivia
Exaurida da falsa alegria,
Mudo a melodia que me movia
Faço do veneno com que me contaminou
Um elixir pra curar minha dor
Camuflado... mascarado...
Com sua própria lança me desfaço
Rasgo minha própria pele
Para que vc flua de vez de mim
Com a noite escura a presenciar...
Um belo vinho a me entorpecer...
O ardor em êxtase ao eliminar vc
Misturado ao sangue já sem sabor
Escoando profano aroma que seu corpo deixou...
E aqui jaz a menina dos olhos brilhantes
A mulher felina insinuante
A companheira fiel aos devaneios constantes
Asfixiada pela luxúria
Dilacerada pelo desejo
Movimentada  pelo orgulho
Danço pela última vez em seu redor
Bato palmas pelo seu cruel espetáculo
Um riso raivoso esboço
Lanço-te meu último olhar crepitante em desgosto
Dou-lhe as costas...
Engulo a seco o choro tardio
E mais forte sigo em meu caminho

Bruxaria Tradicional e Instituições Religiosas



Atualmente pessoas estão mais em busca pela religiosidade alternativa, por locais/ grupos, que promovam ferramentas que lhe proporcionem respostas, para que elas questionem suas verdades, questionem seus objetivos, questionem suas crenças e caminhos; se traçarmos a raiz da questão, muitos não sabem o que realmente buscam, quem são em essência, não conseguem entender a sua espiritualidade solitariamente, não diferenciam o que é um caminho e acreditam por estarem insatisfeitos a partir de uma busca sem frutos, pois nem todos estão dispostos a romper limites, partem para o uso generalista de rótulos devido a falta de especialidade no estudo de crença, algumas destas pessoas partem para a rebeldia, partem para as críticas e reclamações, acham que o pouco que sabem é o suficiente para entender qualquer benefício que uma coletividade pode oferecer ou quaisquer outros benefícios do partilhar. Temos percebido o imenso mar de erros em definições, da falta de cultura histórica, arqueológica, antropológica, cronológica e tantas outras cadeiras acadêmicas, que são substituídas pela ignorância de ego, dos ditos “especialistas no assunto” que começaram ontem, e que hoje falam da tradicionalidade como se isso fosse apenas um verbete para Ordem Iniciática ou baseados em livros que embora tratem do tema, são totalmente desconectados do princípio de crença tradicional, livros escritos por autores que viveram numa época de disputas de ego sem qualquer relação com a essência da Bruxaria Tradicional; temos até autores que pagam com recursos próprios para que seus livros sejam publicados, ou seja, sem interesse das editoras, tamanha a oferta por livros esotéricos. É claro o descontentamento com as religiões neo-pagãs, a causa pode estar baseada na pseudo auto suficiência, deixando muitos em caminhos solitários, como se bruxaria realmente fosse um prêmio para rebeldia, para ofensa a sociedade, como se bruxaria fosse um faz de conta, onde se junta conceitos da Wicca já tão distorcidos pelos auto iniciados, que juntam conceitos de Thelema, de Satanismo, criam uma religião “monista” voltada ao “bode preto” e se enganam como também confundem àqueles que buscam um caminho sincero. Existe muita ilusão no termo “Sangue de Bruxo”, que um bruxo já nasce bruxo, e tantos e tantos conceitos debatidos por mais de três décadas, logicamente estas pessoas não entendem a diferença de vocação e conhecimento, não entendem que aprender é melhor do que ser um pleno ignorante, e ainda mais, que o universo vai se abrir, e muitos outros mundos vão surgir, pelo simples fato do tal hereditário ter sangue de bruxo, esquecendo logicamente do conhecimento e da vivência, do treino, das caminhadas incessantes, é simples! Sangue de bruxo igual a Pó de Piripimpim, se assim o fosse também deveríamos adquirir os famosos “dons” de profissão, teríamos muitos engenheiros, advogados, matemáticos, etc. formados todos no além. Reparamos no grande desserviço dado pelos atuais textos sobre Bruxaria Tradicional, pois além da crítica e do total desconhecimento do fundamento básico da crença, cruzam com informações de outras linhas religiosas, com termos filosóficos clássicos que cabem dentro da religiosidade do mundo antigo europeu, e com isso fica claro a mescla de conceitos modernos para antigas religiões, ou seja, mera distorção. A desinformação é crescente, e ela não invade somente a internet, ela também se alastra por livros, visto que tão pouco se investe em pesquisa acadêmica, tão pouco se é levado a sério pois se trata unicamente de pessoas ligadas ao esoterismo e sua preocupação é apenas o comercio, entretanto não estamos preocupados com o certo ou com o errado, não estamos focados nos que se dizem bruxos ou nos que se dizem hereditários, o foco religioso e prático acontece fora do virtual, como filosofia de vida, cultuando a natureza na Natureza, conservando o conhecimento muito além da década de 50, entendemos que tradicionalidade é muito diferente de Ordem Iniciática, como muito além de qualquer fator genético, e que este conhecimento é ancestral e não atemporal, como também não advém de pesquisas dos tais mecanismos “sérios” da internet e TV a Cabo ou das ilusões astrais que muitos sonham em tramitar e que não passa de uma fantasia egóica. Cabe falarmos de peregrinação, de sangue de bruxo, de aperfeiçoamento? Onde fica o ponto de partida? A resposta é clara! Com uma busca sincera, por conhecermos as nossas crenças com propriedade, buscando conceitos que lhe ajudem em sua caminhada, e aonde se encontra isso? Nas ditas ordens, instituições e conselhos que alguns criticam sem terem a devida vivência. O ponto sempre continuará a ser dito, o que é Bruxaria Tradicional? Alguns acreditam que seja um apanhado de crendices sem nenhuma relação ou sistema ligado a costumes e folclores de um povo e sim uma famosa mistura eclética, confundindo Bruxaria Tradicional com Crenças Tradicionais, unindo o Egito com a Dinamarca, logicamente remetendo aos delírios esquizotéricos sem fundamentos acrescentando dados do período medieval já encharcado da depreciação cristã e os circuitos voltados ao famoso beijo no traseiro do bode preto, essa dita “cosmo visão” bagunçada é apenas uma forma leviana e simplória dos resquícios da santa inquisição, que foi basicamente um filme de terror para assustar àqueles que desafiavam o poder, que era a Igreja Católica. Pois bem, queremos esclarecer ao leitor, que nesse período, a era trevosa do período medieval, é a designação grotesca que o catolicismo rotula bruxaria como satanismo, se assim não o fosse, não teríamos tantos relatos e escritores que se dizem tradicionais usando preto e vermelho e colocando tantos simbolismos com o famoso bode preto, de bruxas deformadas com roupas negras ou que utilizasse de uma origem remota na babilônia, berço dos famosos contos de demônios. Para os que não conhecem o termo tradição, é o conhecimento transmitido de geração a geração, um bruxo tradicional é aquele que conserva o conhecimento ancestral e esse conhecimento está impregnado de filosofia, costumes, folclore, crença, sem isso não se tem tradicionalidade, ela não vem do sangue corpóreo e sim do vínculo da transmissão de conhecimento. Sem tradicionalidade não se torna um bruxo tradicional, e para ser um dentro desse segmento não basta a mão de alguém na cabeça o nomeando, é preciso muito entendimento, muita dedicação. Acreditamos que para falar de uma religião você deva ser praticante, deva ter um idealismo bem maior que seu próprio umbigo, por isso a existência de federações, associações e conselhos, mas não para discutirmos simplesmente crenças ou práticas, para dentro de ideais conquistarmos muito mais que textos em blogs e propagandas pessoais. A visão tradicionalista prega a conservação de valores, entre eles o termo familiar, um termo que remete a fraternidade, para o que faltam conceitos, bruxaria tradicional sempre foi institucionalizada, muito diferente do termo bruxaria familiar ou hereditária, por esta e outras questões se faz necessário, não para unir a todos, mas somente aqueles que são propriamente peregrinos e que desejam ir a fundo e com seriedade.Aos que desejam caminhar com seriedade, nós do Conselho de Bruxaria Tradicional, viemos para unir praticantes e grupos, não estamos aqui para coibir crenças, mas para dar suporte aos nossos iguais, que desejam um caminho pagão, politeísta tal como os povos que habitaram a Antiga Europa, tal como as crenças pré cristãs longe de qualquer depreciação católica, retirando qualquer ranço de outras religiões, sejam elas ocidentais a partir do cristianismo na Europa, sejam estas de origem oriental. Um caminho claro em que todos podem aprender independente de sangue de bruxo ou títulos para engrandecer egos, buscamos de forma fraterna ajudar àqueles que desejam ser auxiliados, compartilhando e multiplicando ações, desenvolvendo potenciais, estimulando e reconhecendo nossos iguais.

Fonte: Conselho de Bruxaria Tradicional (CBT)
Autor - Ricardo DRaco


domingo, 16 de janeiro de 2011

Árvore Sagrada

"De uma coisa sabemos. A terra não pertence, ao homem:
é o homem que pertence à terra. Todas as coisas estão interligadas, como o sangue que une uma família. Tudo quanto agride a terra, agride os filhos da terra. Não foi o homem quem teceu a trama da vida: ele é meramente um fio da mesma. Tudo o que ele fizerà trama, a si próprio fará."


A comunidade Árvore Sagrada, nasceu de um projeto social, de princípio não-governamental, com vínculo ativista e ocultista, foi idealizado desde 1999 e tem como missão defender a flora, fauna e identidade cultural, folclórica e de crença nativa do Brasil e Península Ibérica, valorizando assim, a diversidade humana dessas regiões, e encontrando soluções para sua preservação.


Acesse:


www.arvoresagrada.hd1.com.br